quarta-feira, 5 de novembro de 2008



Sobre Obama


Continuo debitando 25% de confiança no Barack Obama. Mesmo ele liderando a principal nação do Planeta, ele não é nenhum Super Man para poder resolver as misérias que assolam a humanidade. Obama tem na sua essência o sangue americano (estadunidense), seguidor do American way of life.

Todo cuidado ao venerar um individuo que mal conhecemos um ser midiático, querido pela população marginal (latinos americanos, africanos, negros) não podemos saber quem é uma pessoa apenas por uma gama de imagens e informações as quais nos são passadas, de uma forma que não sabemos o grau de veracidade. Mas é inegável a ação democracia eleitoral que os EUA mostraram para o mundo. Tenho alguns questionamentos a respeito do novo Presidente do “Mundo”.

Será que Obama sempre manteve o contato com seus familiares no Quênia? Ele pode ter sido um aproveitador.

Qual a sua postura de fronte ao imperialismo dos EUA, sobre as nações, sobretudo, do Oriente Médio (Iraque, Israel, Palestina...)?

Viva a Democracia! Entretanto com um pé no Absolutismo, vou ficar a espera de algo diferente, mas na mesma linha dominadora, porque o poder é importante e todos nós queremos. Nosso “primo rico” vai continuar sendo a cada dia mais rico e mais opressor. Primeiro eu "o todo poderoso" e depois, se houver tempo o resto.

9 comentários:

Danilo Cruz disse...

hmm... também não confio totalmente no Obama

Isa Dora disse...

Bem, Obama é agora presidente dos EUA. Por mais q influencie todos os países do mundo, de diferentes formas, ele irá governar para os americanos, defendendo os seus interesses.

[vc me imitou! o meu texto tem o mesmo nome :o]
auhsuahsuahsuahuahsuahusahusuasuah

Taysa disse...

Obama é democrata...é estadunidense, tem enquanto proposta unidade politica c/republicanos, transferir as tropas do Iraque p/o Afeganistão...dentre outras coisitas que o fazem ser um representante do imperialismo n tão mega diferente de Bush... a plataforma politica é a base... se essa n difere tanto, só confia plenamente quem quiser.
Porque bem ja me peguei analisando em que medida essa vitória n foi construida p/minizar a "ogeriza"/antipatia (n achei palavra melhor) que o governo Bush causou, em especial pelo fator afro-descendencia ter sido um dos motores da campanha...em que medida um negro que não tem plataforma concreta p/o povo negro é tão bom p/eles????
Bem...os 4anos dirão...espero q não tragam tão más noticias. Pq dessas penso que todos andam cansados.

Xerus...e achei um bom post.

Fábio Flora disse...

Acabei de escrever no meu blog, o Ultramuito, sobre o mesmo tema. Acho que a onda de otimismo que se espalhou pelo mundo com a eleição de Obama já foi benéfica para o planeta. De resto, é esperar os próximos capítulos...

disse...

O assunto agora é um só: Obama
Eu tb postei sobre ele a dois dias atras. Tb tenho receio dele ter se tornado um icone da populãção mundial....
Mas não posso concordar com vc qdo cita a ''população marginal''...
Preconceito.
Estão todos juntos nessa... e todos são iguais... Marginais ou não!

Johnny disse...

Tá tranquilo Rê, respeito a sua posição em relação aos marginais sociais.

Maranganha Abilolado disse...

O primeiro operário eleito no Brasil, o primeiro negro eleito nos EUA, o primeiro rei eleito na Suécia, a primeira democracia czarista da Rússia!

Rapaz, as coisas estão mudando!

Anna disse...

Precisamos dar um crédito sim!

o tempo sempre é o senhor de todas as respostas.

José Carvalho Neto disse...

Fala meu camarada blz? ... obrigado pela visita no meu blog... vim aqui ler o seu ... o lance que vc falou sobre cultuar simbolos midiaticos é verdadeiro, fazemos mto isso, acreditamos demais em tudo... adoramos ter esperanças a cada novidade....