sábado, 4 de outubro de 2008


Desocupado


A falta do que fazer me faz escrever, nem sei o que escrever, mas vou digitando meus pensamentos que afloram paulatinamente transformando o ócio num momento de produtividade.

Me lembro de um dia em que uns amigos meu inventaram de discutir sobre o NADA, essa é a verdadeira falta do que fazer mesmo, decidiram dar uma definição para o nada . Foram feitas algumas reuniões para tentar chegar a uma acepção comum, mas era difícil, porém tentamos. No dia posterior a essa primeira reunião alguém me apareceu com um livro com 326 paginas que falava do NADA, isso já é loucura, mas é a verdade um livro denso que tentava fazer uma explanação sobre o nada.

Entre essa galera tinha estudantes de Filosofia, Geografia e da área de exatas (ciências duras) Matemática e Engenharia. Foi feito um vídeo em três capítulos, confesso pra vocês que não passou de teorização e propostas absurdas, mas foi divertido. A culpa dessa vez não foi da cachaça e sim da falta do que fazer.


O nada não é tão agradável e indispensável quanto a fotossíntese, mas nos faz pensar, essa é parte mais interessante, podemos “ir as nuvens” ter o que nunca tivemos, mas um dia saio do abstrato e conquisto de forma concreta.



4 comentários:

Taysa disse...

Tem dias que o melhor é, aproveitar o nada p/fazer e falar besteiras...

Tem outros que NADA vem a mente p/passar o ocio...

E nesse vai e vem... a gente se diverte e a vida segue.

Isa Dora disse...

O fato de estar sem fazer Nada pode ser algo extremamente interessante, já que as melhores idéias nascem no ócio.
:D

Ellen Regina - facetasdemim disse...

caramba! adorei seu modo de escrever, adorei as metáforas q vc vc utilizou...

Parabéns.
ellen regina.
www.facetasdemim.blogspot.com

Anônimo disse...

yunfat